Arquivo da tag: KDE

Ajuste de cursor padrão do Ubuntu depois de instalar o KDE

Depois que você instala o pacote Kubuntu no Ubuntu (através do Synaptic, então, então ele irá baixar o KDE para o Ubuntu), acontece um pequeno problema de “mouse” entre as interfaces: O cursor de mouse padrão do Kubuntu não sai mesmo no Ubuntu (GNOME). Eu pessoalmente acho aquela seta de extremo mau gosto, por isso, vou deixar aqui a solução deste problema para quem também acha isso.

Note que após este processo, será necessário reinstalar o GDM, que é o gerenciador de janelas do GNOME.

Abra o terminal (Aplicativos > Acessórios > Terminal) e entre com a seguinte linha de comando:

1
sudo update-alternatives --config x-cursor-theme
O cursor padrão do Ubuntu é o DMZ-White.
Selecione o cursor padrão através do número indicado.
Para que a alteração seja iniciada, você precisará reinciar o GDM. Entre com o seguinte comando
2
sudo /etc/init.d/gdm restart
A sessão será finalizada. Logue-se novamente na tela de usuário e confira a mudança.

Alguém salve o Gnome do… Gnome

Eu sempre gostei do Ubuntu e considirei-o uma distribuição à parte das outras. Em casos mais exagerados, até disse que Ubuntu não é Linux, Ubuntu é Ubuntu e isso está certo. Entretanto, adoraria que o Ubuntu focasse mais no KDE, e o Kubuntu, que não recebe tanta atenção assim fosse na verdade o Ubuntu, e o Ubuntu virasse GUbuntu.

A interface limpa do Gnome é agradável à primeira vista, na verdade, só a vista do Desktop sem janelas abertas, porque quando as abrimos, nos deparamos com uma extrema simplicidade de design que remete seu look’n’feel para uns 4 anos no passado.

Na verdade, em comparação ao Windows 2000 o Gnome é mais bonito, em comparação ao Windows XP  e ao Windows 7, ao OS X ou ao KDE ele chega a ser feio e isso pode piorar mais com a chegada do Gnome Shell, ou Gnome 3.

gnome3-gnome-shell-activities

Olhem o inferno que estão fazendo com o Gnome: Um emaranhado nada bonito de se ver com as janelas.

Agora o KDE não é só bonitinho e tchuqui-tchuqui não. Quando instalei o KDE em meu Ubuntu 10.04 beta2 para testar, fiquei espantado com a quantidade de coisas que ele coloca no Desktop. Uma área de ícones, um programa de redes sociais e aquelas coisas na extremidade direita da tela realmente não ajudam que o KDE fique melhor.

Comentei no BR-Linux.org antes de redigir este artigo, que adoraria que o Gnome 3 tivesse mais Mono integrado (sim, freetards, Mono significa mais programas e menos ideologia) e que fosse completamente feito em QT, o que daria uma guinada no visual do Gnome.

Um Gnome feito em QT e com a interface da área de trabalho que tem hoje (a barra superior com poucas mudanças, quase nulas), a eliminação dos menus suspensos para colocá-los na barra de sistema (como faz o aplicativo Globalmenu) e um pouco de perfumaria ajudaria muito no visual do Ubuntu como um todo, mas por enquanto isso é um sonho meu. Vou aguardar as melhorias visuais adiadas e prometidas pro Ubuntu 10.10.

Vem ai o KDE Media Player

O time de desenvolvimento do KDE (neste caso, um usuário chamado Gilfcp10), está trabalhando com afinco para trazer uma excelente novidade: um item que realmente faz falta no Linux, que é um player padrão para músicas e vídeos.

KDE_media_Player

KDE_media_Player-2 

Em fase de desenvolvimento, o KDE Media Player reúne diversos aplicativos em um só front-end e permitirá a execução de músicas, vídeos, DVDs e identificará as várias extensões dos mais variados tipos de vídeos, além de mostrar na tela informações sobre filmes ou séries que estiverem sendo executadas por ele.

Para saber mais informações sobre o KDE Media Player, siga este link.

KDE 4.3.0 mostra aonde o Linux pode chegar

kde430inspired_thumb.png O ambiente gráfico para Linux conhecido por KDE sempre esteve alguns passos à frente de seu primo menor, o Gnome no quesito beleza (neste caso, o Gnome sem nenhum tipo de personalização, claro). Embora o Gnome tenha inúmeras opções de customização e seja leve por natureza, o KDE, por si só é bonito e quando o usuário decide migrar de um sistema da Microsoft para um Linux, o KDE é o ambiente que lhe poderá parecer mais familiar.

kde430desktop_thumb.png

Nos últimos anos, o KDE vem recebendo atenção especial na interface gráfica, mas ainda estava “imatura”. A versão 4.0 do KDE chegou mais bonita que a interface AERO do Windows Vista, mas não chegava perto do ambiente gráfico do Mac OS. Com sorte, poderia se abrir diversos aplicativos sem que ocorresse um erro crítico no X. Porém, com a che gada do KDE 4.3, o Linux pode ser elevado a um nível superior de usabilidade, estabilidade e beleza.

air_thumb.png Leopard_Desktop_thumb.png imagem_w7b7100rc_thumb.jpg

Comparações com os “irmãos” comerciais serão comuns

Como uma referência ao AERO, do Windows, também utilizado no Windows 7, o nome do novo tema é AIR, com efeitos de transparência, degradês e ícones belíssimos complementam a interface do sistema. Os plasmoids, que são widgets para serem colocados na área de trabalho receberam um tratamento, entre eles, destaca-se o Translatoid, que traduz palavras e sentenças no desktop usando Google Translate. , além, claro, dos aplicativos que acompanham o pacote.

“…com a chegada do KDE 4.3, o Linux pode ser elevado a um nível superior de usabilidade, estabilidade e beleza.”

Dentre os novos recursos, aprimoramentos e inclusão de pacotes, a novidade está no consumo de memória do ambiente gráfico: “O uso dos recursos da máquina também estão dentro de um limite aceitável. Apenas o sistema, com alguns widgets, não consumiu mais de 300 MB dos 512 MB configurados. Vale lembrar que os efeitos de transparências são nativos do KDE.” (grifo meu) Destaca Helito Bijora em sua análise sobre o KDE 4.3 no site Guia do PC.

Já posso até ver os Wintards e Mactards berrando aos quatro ventos que isso foi copiado e aquilo nasceu no seu sistema. Na verdade, as pessoas que se tornam “fãs” de um produto e dependentes dele, não conseguem visualizar nada além da barreira impostas por seus monitores, entretanto, a beleza não é exclusividade da Apple, tampouco as janelas exclusividade da Microsoft.

desktop_thumb.png

Com um tema de cores padrão que lembra o Mac OS e menus a la Windows, o KDE 4.3 parece a escolha ideal para usuários que estavam esperando o sistema ganhar uma interface mais bonita para migrar de outros sistemas, e para quem ainda está no KDE 3, este é o momento ideal de fazer seu update, afinal, o KDE 4 já não é um ambiente tão “neófito” assim.

O site do KDE traz diversas informações sobre a principais mudanças desta versão, os aprimoramentos e inclusões. Traz informações importantes, a exemplo do ambiente shell do Plasma, que agora apresenta uma Geolocation DataEngine usando o libgps e HostIP, que permite facilmente os plasmoids responderem a localização do usuário.

games_thumb.png

Os jogos ganharam um apelo mais visual comparados aos jogos do Gnome

Para saber mais sobre o KDE 4.3, visite o site oficial do projeto: WWW.KDE.ORG, e instalar o KDE em seu sistema Linux, basta clicar neste link.

Yoomp