Arquivo da tag: Open Source

Dreamlinux: Porque beleza se põe à mesa

dreamlinuxExiste uma distribuição Linux além do Ubuntu e do Fedora, uma distribuição que tem por finalidade juntar em um mesmo computador a segurança e confiabilidade do Linux, a beleza (que lembra um pouco o Mac OS) e a facilidade de programas conhecidos da galera OpenSource e uma espécie de “Ícones Mágicos”.

O Dreamlinux é uma distro brasileira, iniciativa brasileira, mas hoje é uma distro voltada para o mercado externo Continuar lendo Dreamlinux: Porque beleza se põe à mesa

Novo Kernel do Linux traz suporte a DRM

Com o lançamento do kernel Linux 2.6.26-rc7, a liberação do Kernel 2.6.26 final está chegando. A grande mudança no Linux 2.6.26-rc7 é a atualização da Intel e e ATI/AMD. Esta atualização traz suporte as GPUS Radeon R500, suporte a DRM, atualização de microcódigo e DRM para todas as GPUs Radeon e Intel GMA-Série 4 (a próxima geração de xhipsets X4500).

Para quem não conhece, DRM é a sigla em inglês para Digital Rights Management, ou Gerenciamento de Direitos Digitais, uma espécie de proteção sobre direitos de uso e distribuição de arquivos de mídia digital.

Fonte: Phoronix

Ubuntu Linux 8.04 – O Linux mais que perfeito

Pode mesmo parecer uma insensatez escrever uma frase como a frase
do título, principalmente para os hard-users de Linux, que costumam compilar “na unha” seus kernels e pacotes de programas, mas para o usuário do dia-a-dia, os não-geeks,  o Ubuntu traz facilidades de configuração e uso capaz de concorrer “na unha” com sistemas como Windows e OS X.
Claro, não vamos ser convencidos a ponto de dizer que o Ubuntu é tão
bom quanto o OS X na edição de videos, ou tão bom quanto o XP na
execução de games, mas aos poucos, estão sendo adaptados softwares
destes sistemas para serem executados no Linux tão bem que parece que foram feitos para ele.
pastas

Um painel de controle com muitos controles

Há quem diga que é muito fácil modificar a aparência do Windows
para ter a cara que ele quiser, é claro que sim, desde que você sacrifique memória e processamento.
No Ubuntu, é possível alterar todo o esquema de cores do sistema,
bordas de janelas, botões, esquema de ponteiros de mouse, comportamento de janelas, fontes, tela de boot, gerenciador de boot, firewall, instalação e desinstalação de pacotes, entre outros. Para aqueles que quando pensam em Linux. vêem uma tela de linha de comandos…abra os olhos para a nova realidade dos Desktops Linux.
Ao instalar o Ubuntu Linux, o sistema automaticamente procura e instala ou oferece os drivers, sejam eles abertos ou proprietários para qualquer peça de hardware que seu computador possua, isto inclui impressoras, scanners, placas de TV e video, entre outros.

Beleza no Desktop – Impressionando suas visitas

Os feios que me desculpem, mas beleza é fundamental, e isso nós temos visto há anos nos computadores Apple. O Linux era o patinho feio e mundo afora se via dezenas de tutoriais de “Como deixar seu Linux com cara de XP”, e na boa…acho o XP um visual deveras ultrapassado, mas quando a Microsoft veio com um visual
inovador para eles, o Aero, já havia um bom tempo que tinhamos no Linux o Compiz / Beryl impressionando muito mais do que o visual do Vista trazia. Desktops em forma de cubo, onde é possível ter até 4 áreas de trabalho em 3D, janelas que se movimentam como se fosse gelatina, efeitos de água, fogo, docks (gerenciadore de janelas similar ao do Mac OS X), troca automática de papéis de parede… enfim… são tantos efeitos e utilidades que fica difícil descrever qual o mais útil e bonito.
Cubo

E os meus programas preferidos? Existe equivalente?

Estamos falando de um sistema onde é possível ter, fazer ou adaptar.
Quem usa Itunes para ouvir suas músicas no Windows ou no OS X, pode ficar surpreso ao conhecer o Amarok, o melhor e mais conhecido player de música do universo Linux, com funções que deixariam seus equivalentes em outros sistemas de queixo caído, caso eles tivessem.
No Windows, usa-se o Nero para as atividades de gravação e criação de cd’s e DVD’s, no Linux, temos o insubstituível K3B, com as mesmas funçoes e interface amigável do Nero. O aMSN é o software que permite realizar chat pela rede do Windows Live e chat por webcam.
Similar ao Microsoft Office, no Linux temos o OpenOffice (disponível para Windows também) com o Writer, equivalente ao Word, o Calc, equivalente ao Excel e o Presenter, equivalente ao PowerPoint, entre outros.

Amarok e AMSN
O Firefox é o navegador de internet padrão, além do Gimp, o editor de imagens, o MPlayer, tocador de video e o Blender, um modelador 3D, todos estes programas são opensource. Dos programas não-open-source, temos entre vários, os excelentes Acrobat Reader, o Picasa e o Google Earth.  K3B

Só isso? E os programas que eu estou acostumado a usar?

Ótimo, você é um usuário exigente, possui suas ferramentas preferidas e não abre mão delas, não é? Não tem problema. Apresento-lhes o W.I.N.E.

Diferente do que você pode estar pensando agora, o Wine não é um emulador, ele aplica as bibliotecas de dll’s do Windows em em API’s do Linux. Com o Wine é possível rodar em Linux Adobe Photoshop, Microsoft Office 2003, Fireworks, Dreamweaver, CounterStrike, Internet Explorer, Windows Media Player 6 e muitos outros, mas pode ter certeza, há muitos programas que podem substituir com maestria o que você está acostumado a utilizar no Windows, basta ter curiosidade de aprender.
Office e Openoffice

Ok, ok, gostei da explicação, mas e quanto ao preço e suporte?

Preço não existe, o Ubuntu Linux é grátis, assim como a maioria das distribuições Linux, e o Linux é um sistema de código aberto, também chamado OpenSource, e possui muitas pessoas por trás de seu desenvolvimento, inúmeros fórums de discussão e uma vasta
documentação disponível na internet. Quer encontrar alguma informação sobre algum pacote ou configuração? Procure no Google, com certeza haverá dezenas de páginas disponíveis com a informação que você precisa.

Hmmm…dizem que o que é de graça não presta…

Esqueça as frases feitas e crendices populares, o Linux não é de graça à toa, por ser um sistema de código aberto, qualquer pessoa com conhecimentos em programação pode facilmente adptar o sistema às suas necessidades, e desde que estas adptações sejam realmente úteis e necessárias para a comunidade, elas devem ser divulgadas e distribuidas (em conformidade com a GPL) com o código fonte. Isto torna o sistema maduro e seguro, além de ser praticamente
imune a vírus e trojans comuns em micros com sistemas Windows.

Perfeito! Mas como eu consigo o Ubuntu Linux?

O Ubuntu Linux pode ser baixado gratuitamente pelo próprio site, www.ubuntu.com ou através do site, você pode solicitar um cd de instalação e utilização (o live cd) gratuitamente pelo ShipIt, que demora de 4 a 6 semanas para chegar à sua casa.
O live cd permite que você teste o sistema e seus aplicativos pré-instalados diretamente do cd, sem a necessidade de instalar no HD, ou você pode escolher instalar o sistema pelo próprio Windows, como se fosse um programa, e, caso você não se adapte ao sistema, pode removê-lo como um programa qualquer com poucos cliques.

WINE traz novidades em Direct3D

Boas notícias para os linuxeiros de final de semana: A nova versão do Wine, software que permite executar programas Windows no Linux, trouxe novidades na área de Direct3D, que agora permite emular drivers , além de suporte a objetos OLE em Richedit, reparos nos controles de animações entre outros fixes.

O WINE pode ser baixado em WINEHQ

OpenSolaris: Project Indiana vem de Gnome

Lançado em 31 de Outubro passado, o OpenSolaris, sistema da gigante Sun Microsystems, traz a mesma interface padrão do Ubuntu, o GNOME, neste caso o Gnome 2.20.2, utiliza o sistema de arquivos ZFS, traz o amado Shell e $PATH, velhos conhecidos dos usuários Linux.

Chamado de Projeto Indiana: Preview 2, este sistema é compatível com aplicações made in Linux/Gnome e traz Gimp 2.4, gThumb(visualizador de fotos), Firefox, Thunderbird(Cliente de E-mail, Pidgin(cliente de mensageiros) e Ekiga Softphne, Rhythmbox(Player de Música) Totem(Player de filmes) mas não traz Codecs proprietários, como AVI, WMV ou MP3, que devem ser instalados manualmente.

O OpenSolaris identificou e instalou o adaptador de rede de um notebook Lenovo ThinkPad R52, plataforma Centrino e chip Intel integrado PRO/Wireless 2915ABG WiFi 802.11g automaticamente e traz por default drivers da Nvidia, mas teve problemas ao montar flash drives.

Segundo análise do site Phoronix, D-Trace, ZFS e outras opções que o OpenSolaris traz são excelentes tecnologias, mas usuários “normais” não se importam, e como nem tudo é perfeito, não há editor de textos nesta distribuição, a única opção de visualização de documentos é o Evince Document Viewer, ficou devendo um OpenOffice ou mesmo um StarOffice (que por sinal é da mesma dona do OpenSolaris, a Sun).

É aguardado para breve uma nova versão, mas não pode-se esperar grandes mudanças até que o OpenSolaris Codename “Jericho” seja lançado. Até lá, o desafio é tornar o sistema “amigável” ao usuário Desktop.

O Download do Live DVD completo pode ser feito pela própria página da Sun, onde você pode se cadastrar no Sun Download Center, um total de 3GB de Iso em várias partes, que posteriormente podem ser “coladas” e “queimadas” com seu software preferido (preferencialmente um K3B), também há a Developer Preview, que possui apenas 629MB.

Fontes: Phoronix e Br-Linux.Org